29 de dezembro de 2012

O PODER DE UMA GANG QUE ESTÁ DESTRUINDO O BRASIL


O declínio moral da classe política chegou a um ponto em que os eleitos,
salvo raras exceções, se repetem como, ou se tornam profissionais da
prática do ilícito, desvio de conduta tido por esses pulhas como
fundamento de comportamento considerado normal, lembrando que os políticos
brasileiros são os mais bem pagos do mundo.

Diante do apodrecimento dos poderes da República, tendo como pano de fundo
um quadro social aceleradamente degenerativo, mais grave ainda é a postura
calhorda dos esclarecidos, tipo classe dos artistas, “socialistas” que
moram em locais como na Vieira Souto, e que através de “notáveis”
representantes, sem qualquer pudor, declaram que “roubar pode ser
necessário para governar”, entre tantas outras canalhices de igual teor ou
pior.

A Abertura Democrática acabou se transformando em uma profunda subversão
dos mais elementares valores que devem conduzir uma sociedade, ou seja,
uma grotesca fraude comandada pelas burguesias e oligarquias que
convenceram o “povo” que sem o Regime Militar o Brasil estaria melhor,
escondendo durante décadas suas verdadeiras intenções na entrega do país
aos desgovernos civis.

O resultado dessa sacanagem é vermos hoje nosso país ser considerado pelo
resto do mundo como um Paraíso de Patifes, uma sociedade decadente e
imoral descendo a ladeira de uma crise econômico-social ignorada por um
desgoverno que vive da divulgação hipócrita de cifras, de meias verdades,
de mentiras, de estelionatos eleitorais, e de promessas que não serão
cumpridas, afirmando com a maior cara-de-pau que tudo vai ser diferente.

Diante desse quadro de total falência moral nas relações público-privadas,
e sendo a instituição que tem a maior confiança da sociedade, fica uma
interrogação que nos angustia: - Por que as Forças Armadas que,
constitucionalmente têm a responsabilidade implícita de não permitir que o
Estado Brasileiro se torne um Covil de Bandidos colocando em risco cada
vez maior nossa própria soberania, não saem da sua hibernação apátrida e
tomam a iniciativa de promover uma intervenção civil-militar no país para
prender as quadrilhas de corruptos e subornadores que controlam o poder
público?

Diante de tudo o que está acontecendo somente pode existir uma resposta:
nossos comandantes militares estão acovardados pela Comissão da Mentira,
corrompidos ou subornados, sufocando qualquer iniciativa de revolta de
escalões inferiores.

A questão que fica é a seguinte: até quando milhares de soldados
enfurnados nas casernas, passando privações morais e materiais enquanto
nossa República vira um verdadeiro Bataclã da prostituição da política,
continuarão obedecendo ordens de comandantes covardes, subornados ou
omissos sem partir para uma revolta militar libertadora de nosso país das
mãos de bandidos?

O ano de 2013 pode ser considerado aquele em que o caráter sórdido do PT e
do Retirante Pinóquio – verdadeiro chefe do Mensalão conforme denúncia de
um dos “condenados” pelo STF –, apareceram com toda a transparência para a
sociedade.

O resultado do julgamento do Mensalão que “gentilmente” condenou seu
núcleo político com penas ridículas e que, certamente não serão cumpridas,
aflorou no PT uma criminosa capacidade de desqualificar publicamente o STF
ajudado por um presidente da Câmara que desafiou frontalmente o Ministro
Joaquim Barbosa e conseguiu – ordenou – que os condenados não fossem
presos.


Se o poder público, notadamente o poder Judiciário, majoritariamente, não
tivesse sido subvertido em todos os seus mais elementares princípios
morais e éticos durante a Fraude da Abertura Democrática, os cafajestes
das gangs de corruptos e subornadores estariam na cadeia por exigência da
sociedade, cumprindo duras penas de prisão.

Concomitante ao apodrecimento do poder público os desgovernos civis
cuidaram de silenciar milhões de consciências com uma covarde e
premeditada falência da educação e da cultura e uma metódica, repetitiva,
e redundante prática de um assistencialismo comprador de votos dos
ignorantes e, principalmente, com o suborno de milhares de esclarecidos
canalhas formadores de opinião e com fácil trânsito no submundo do poder.

Ao assumir o poder, o PT e seus cúmplices-lacaios, de forma gradual, foram
plantando as sementes da degeneração moral do poder público.

Primeiro, através do suborno – o Mensalão – transformaram o Congresso
Nacional em um balcão de negociações espúrias para servir de base para a
aprovação dos projetos e das medidas provisórias dos desgovernos
estelionatários-petistas.

Conquistado o Parlamento já degenerado por desgovernos civis anteriores –
incluindo o de FHC cabo eleitoral de Lula e inimigo de José Serra – o
poder Judiciário, metodicamente, foi transformado em lacaio do poder
Executivo formalizando uma relativização da Justiça, uma consumada
patifaria que se alastrou em todas as instâncias do poder Judiciário,
majoritariamente aparelhado e controlado pelos meliantes do PT, culminando
com a ocupação dos Tribunais Superiores por uma maioria de togados
lacaios-cúmplices das gangs que tomaram conta do poder público.

Estamos diante de uma encruzilhada absolutamente perigosa: ou a sociedade
aceita continuar sendo desgovernada por uma corruptocracia fascista, ou
civis e militares se unem para destituir o poder público mais corrupto e
degenerado de nossa história.

Nossa decisão será continuar aceitando trabalhar mais de cinco meses por
ano para continuar sustentando bandidos e os que se tornam seus cúmplices
ou, então, recomeçar onde o Regime Militar parou, com apenas uma
diferença: não cometer os mesmos erros que fizeram o poder público ser
ocupado por gangs da corrupção e do suborno, transformando esses crimes em
inafiançáveis e sem direito a regime prisional diferenciado, ficando nas
mesmas masmorras em que são entulhados milhares de vítimas desses
canalhas.

Tudo leva a crer que, definitivamente, o Brasil só vai mudar seu quadro de
falência moral quando a sociedade acordar e pegar nas armas, seja de qual
tipo for, para a defesa da verdadeira democracia.

O Estado e muitas outras organizações sociais estão dominadas e
aparelhadas pelo que há de pior em gênero humano.

Vagabundos, bandoleiros, ladrões e pústulas continuam no poder, com o país
à beira do caos institucional, social e econômico, e os ignorantes
inebriados por bundas, novelas, futebol e carnaval, à espera não se sabe
mais do que.


Enquanto isso os bandidos se divertem...

Para começar 2013, o “ano da bosta”, única denominação apropriada para
qualificar o que nos espera, devemos testemunhar um condenado pelo STF
assumir o cargo de deputado federal, humilhando o STF que, aparelhado pelo
PT, continuará fingindo que julga, mas seguindo os limites da covardia
impostos pelo poder Executivo.


Não pode haver maior exemplo do apodrecimento relativista da Justiça do
que a condenação de Marcos Valério com uma pena de 40 anos e o seu suposto
chefe com uma pena de 10 anos.

Enquanto isso o verdadeiro chefe da gang já denunciado por Marcos Valério,
casado, mas namorado de sua secretária – uma bandida denunciada pelo MPF–,
continua livre, leve e solto fazendo todos os contribuintes que pagaram
suas despesas de hotel ou motel, ou de “núpcias” no avião presidencial, de
idiotas e palhaços do circo do Retirante Pinóquio.

É isso aí brasileiros e brasileiras. Continuem chupando e mordendo o
caroço de manga da hipocrisia dos discursos oficiais, do assistencialismo
que escraviza consciências, da corrupção e do suborno bancado pelos
contribuintes e sejam felizes, omissos, covardes para sempre, quando não
cúmplices dos que estão destruindo o Brasil e o futuro de nossos filhos e
de suas famílias.



Geraldo Almendra

29/12/2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget