31 de outubro de 2012

CENTRO DE DESENVOLVIMENTO BIOTECNOLOGICO DE JOINVILLE



CDB –Centro de desenvolvimento biotecnológico de Joinville

Gert Roland Fischer
1° capitulo.
Reproduzo importante informação sobre o que poderia ter sido o CDB. http://www.ocyt.org.co/esocite/Ponencias_ESOCITEPDF/4BRS031.pdf

O CDB foi implantado em 1991 em Joinville  com o propósito de desenvolver pesquisas na área de biotecnologia no Estado de Santa Catarina. Mais precisamente, a sua criação visava à produção de insumos para as indústrias de alimentos, ração e farmacêutica como, por exemplo, aminoácidos, vitaminas, enzimas, fermentos lácteos, colorantes e outros aditivos que no período eram, em sua maioria, importados. Assim, o CDB compreendeu um esforço de desenvolvimento institucional e capacitação numa área considerada de ponta e, ao mesmo tempo, uma oportunidade para ocupar novos espaços estratégicos economicamente importantes associada, principalmente, às agroindústrias de alimentos de Santa Catarina.
As principais atividades desenvolvidas pelo CDB compreendiam Pesquisa e Desenvolvimento [P&D], formação, capacitação e intercâmbio científico, bem como a colaboração com o setor produtivo e preservação ambiental. Para isso, mantinha relações com diversos programas de pós-graduação da Universidade Federal de Santa Catarina [UFSC], a Faculdade de Química de Lorena, a UNIVILLE e a FURB, bem como acordos de cooperação com instituições na Alemanha, Portugal, Argentina e Chile. As  atividades de P&D desenvolvidas pelo CDB concentravam-se basicamente na biotecnologia industrial e os projetos, na sua grande maioria, eram enquadrados num nível intermediário de complexidade.
A criação do CDB estabeleceu-se a partir da iniciativa da Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia de Santa Catarina e do apoio do CNPq e da FINEP, da Associação Comercial e Industrial de Joinville e do governo alemão por meio de duas instituições de pesquisa:
Gesellschaft für Biotechnologische Forschung [GBF] e Forschungszentrum Jülich [KFA].
Três fatores explicam tanto  a localização quanto  a configuração institucional desse programa. O primeiro fator compreende a iniciativa pessoal do  então titular da Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia de Santa Catarina,  Odilon Salmória; em segundo, o contexto no qual a biotecnologia foi declarada área de interesse estratégico nacional pelo PNDR, em 1986; e, por último, a ação do então Ministro da Ciência e Tecnologia (Morali, 1996).
O CDB era gerido por um conselho de administração composto pela Secretaria de Estado de Tecnologia, Energia e Meio Ambiente, pelas Centrais Elétricas de Santa Catarina S/A, pela Empresa de Pesquisa Agropecuária e Difusão  Tecnológica de Santa  Catarina S/A, pela Fundação Osvaldo Cruz, pela  Fundação 25 de Julho, pela Associação dos Laboratórios Farmacêuticos Nacionais, pela  Associação Comercial e Industrial de  Joinville, pela Federação das Associações Comerciais e Industriais de Santa Catarina, e pela Confederação Nacional da Indústria.
É interessante notar que, quanto à composição  de seu conselho de administração, as universidades não possuíam assento, apesar de desempenharem um papel decisivo no desenvolvimento das atividades de pesquisa.
O CDB desenvolveu bens e serviços de origem biotecnológica, através de estudos relacionados a microorganismos, fármacos,  alimentos, insumos biológicos e químicos, bioreatores, energia e gestão ambiental. Os principais projetos de pesquisa desenvolvidos para a demanda de mercado estão listados no quadro a seguir.
Principais projetos de pesquisa desenvolvidos pelo CDB
Produção de concentrado nitrogenado em planta piloto a partir de soro de queijo por Lactobacillus bulgaricus;
  • Produção de sorbitol e de ácido glicônico por Zymomonas mobilis;
  • Produção de acetaldeído por Zymomonas mobilis;
  • Produção de oligofrutados a partir de insulina;
  • Produção de enzimas de restrição;
  • Desenvolvimento de processo de produção industrial de Bacillus Thuringiensis;
  • Produção de enzimas de interesse industrial  (Lactase) a partir do soro de queijo por Kluyveromyces marxianus;
  • Desenvolvimento de bioreator para o laboratório.
No que se refere às atividades de P&D, o CDB participava, junto com outras instituições, de dois grandes projetos na área ambiental: o Projeto de Tratamento de Dejetos da suinocultura e o Projeto Joinville. No que  se refere aos projetos realizados para o setor produtivo, destacam-se a otimização do processo de produção  de películas de celulose para uso químico-farmacêutico e a produção de um antagônico microbiano para distúrbios gastrointestinais.

www.ecologiaemacao.com – TV CIDADE JOINVILLE. 


Mais informações sobre o trabalho que vinha desenvolvendo o CDB.
http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-66322003000200001&script=sci_arttext




quinta-feira, 7 de junho de 2012

Morreu Mário Cesar Cubas



Acaba de falecer na manha de hoje, 7 de junho, em Joinville (SC) o ex-administrador do Centro de Desenvolvimento Biotecnológico de Joinville nos anos 1990, Mário Cesar Cubas, vítima de câncer no fígado. O corpo está sendo velado na Capela Borba Gato e o enterro está marcado para as 16 horas de hoje, quinta-feira, também no Cemitério Municipal. Mais informações podem ser obtidas com Nilo Braga, genro de Cubas, pelo fone (48) 9609.7000.
·         

Um comentário:

  1. Jairo Coelho de Souza9 de novembro de 2012 16:46

    Prezados

    Infelizmente só vi hoje esta notícia. Está equivocada a informação que as Universidades não participavam do CDB. Participavam dos conselhos e da Assembléia Geral:
    ACIJ,Fundação 25 de Julho,Fundação Oswaldo Cruz,
    GBF(Alemanha), Universidades(UFSC, FURB e UNIVILLE onde a cada período uma tinha a cadeira no conselho), CELESC, FACISC, EPAGRI(na época EMPASC) a então Secretaria de C&T de SC. Relativo as Universidades, inclusive o Prof. José Tafner então reitor da FURB, foi Presidente do Conselho de Administração do CDB. O Prof Rodolfo Pinto da Luz também participou do Conselho.
    Não participava a Associação dos Laboratórios Farmaceuticos Nacionais a qual não conheço.
    São infelizmente informações que se perdem com o tempo e inclusive a importância do próprio CDB e quem sabe em uma outra postagem possamos apresentar.
    É um pesar a morte de Mario Cesar Cubas, um grande incentivador do CDB.

    Jairo Coelho de Souza
    ex-Diretor Administrativo do CDB
    jairojcsf@gmail.com

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget