28 de setembro de 2012

hoje é sexta feira dia de matar no transito.



AS CAMPANHAS SOBRE CONDUÇÃO COM O ALCÓOL E DROGAS DEVIAM SER ASSIM...

Esta é Jacqueline com o seu pai, 1998.





Esta é ela de férias na Venezuela.

Numa de festa de aniversario quando ela era pequena.
Numa festa com os seus amigos.

Este era o carro em que Jacqueline ia. O outro carro conduzido por um jovem estudante de 17 anos chocou contra o carro dela quando voltava para casa. Aquele jovem estudante tinha tomado umas quantas cervejas. Isto aconteceu em Dezembro de 1999.

Depois do acidente, Jacqueline precisou mais de 40 operações.
Jacqueline foi tirada do seu carro quando ainda estava em chamas e o seu corpo esteve a arder durante 45 segundos.


Com o seu pai, 2000.


Durante o tratamento.



Três meses após o acidente.



Ao ficar sem a pálpebra esquerda, Jacqueline precisou de uma gotas para não perder a visão.

Reggie Stephey
O jovem responsavel que provocou o acidente.
Agora com 20, não conseguiu perdoar-se a si mesmo por ter conduzido bebado naquela noite há três anos.
Está consciente de que arruinou a vida de Jacqueline Saburidos.
ANTES
http://health.discovery.com/centers/plasticsurgery/facetransplant/gallery/face9_v.jpg
DEPOIS
http://health.discovery.com/centers/plasticsurgery/facetransplant/gallery/face10_v.jpg
Nem todos os acidentes de carro causam vítimas mortais . Esta foto foi tirada 4 anos depois do acidente e os médicos ainda estão a tratar de Jacqueline, que apresentava graves queimaduras em 60% do seu corpo.


Isto é real. Antes de pensar em não reenviar, pense que poderia ser com você, com seu filho, com seu(a)
namorado(a). Por Favor, envia isto a todas as pessoas que puderes para mostrar as consequências de conduzir bêbado.
CONSCIENTIZEM-SE. Nenhuma vida vale a diversão de uma noite!!!
POR FAVOR, ENVIE PARA O MAXIMO DE PESSOAS QUE PUDER, VOCÊ PODE ESTAR SALVANDO UMA PESSOA.

A depressão mundial e o Brasil



Adriano Benayon * - 24.09.2012

Desta vez, abordemos trágicos aniversários no âmbito mundial, começando por agosto de 1979, quando Paul Volcker foi nomeado presidente do Federal Reserve dos EUA – FED, a instituição privada dos bancos da oligarquia, que exerce o poder, como banco central.

2. Logo em outubro, a taxa de juros (prime rate) nos EUA foi dobrada para acima de 20% aa. Assim, acelerou-se a crise da dívida latino-americana, eclodida em 1982, levando o Brasil, até hoje, a pagar juros e amortizações, em montantes insuportáveis. Ademais, a dívida serviu de pretexto para privatizar de graça inestimáveis patrimônios das estatais e do Estado.

3. A recessão nos EUA fez o rendimento familiar médio de 1981 a 1983 ser o mais baixo dos anos 60 até o presente.

4. Vendo-se desimpedida com a dissolução da União Soviética, a oligarquia anglo-americana - cujas agressões militares não cessam - empreendeu, desde agosto de 1990, com aliados e satélites da OTAN, a devastação do Iraque” a bombas de urânio.

5. Para a queda da União Soviética muito contribuiu a Al Qaeda, organização terrorista islâmica patrocinada pelos EUA através do serviço secreto paquistanês.

6. Em 11 de setembro de 2001, atribuíram à Al Qaeda ter destruído as Torres Gêmeas em Nova York, na realidade implodidas por serviços do governo estadunidense, a fim de, entre outros objetivos, justificar nova sequência de intervenções armadas no Oriente Médio, visando controlar mais petróleo e assegurar a sobrevida do dólar como divisa internacional.

7. De fato, o inflacionado dólar depende de serem liquidadas nessa moeda as importações de petróleo, a principal mercadoria do comércio mundial. Mas qual é a relação da escalada militar com a depressão que assola EUA, Europa, Japão e outros? 

8. O eminente Paul C. Roberts, no artigo “Revolução vinda de cima”, de 12.09.2012, mostra que os povos foram reduzidos à servidão e resume: “a maioria dos americanos não pode pagar por guerras de muitos trilhões de dólares durante 11 anos, cobrir trilhões de dólares de apostas de cassino, praticadas em Wall Street, ter seus empregos de classe média exportados pelas transnacionais (corporations), e ainda esperar renda mais alta.”

9. A depressão econômica é a única coisa que poderia ter resultado da concentração de renda, fomentada pelos governos, ao permitirem tudo aos banqueiros, financeirizando a economia e facilitando a movimentação dos capitais inclusive para os paraísos fiscais, além de reduzir os impostos das transnacionais e dos super-ricos.

10. Daí outro aniversário (setembro de 2008), o da falência do banco de investimento Lehman Brothers, marco do colapso financeiro em curso.

11. O notável economista Michael Hudson (entrevista a K. Fitzgerald, em 17.09.2012) aponta: “O que se tem na Europa e em outros países neoliberais é loucura, encolhimento econômico, emigração, vida mais curta, taxas decrescentes de formação de famílias, taxas crescentes de doenças e de suicídios. Esse é o plano neoliberal de Chicago chamado ‘mercados livres’ ”.

12. A análise de Hudson ajuda a verificar que, estando a grande maioria dos cidadãos em declínio econômico e endividada, os trilhões de dólares que o FED injeta nos bancos de nada servem para dinamizar a economia, pois a procura dos consumidores é  decrescente e falta demanda para investimentos produtivos.

13. Como lembra Hudson, criar crédito implica criar dívidas, e as dívidas são o problema: “Criando ainda mais dívidas não se resolve o problema da deflação decorrente das dívidas, nem a bolha da economia.” Mais: “Os bancos não dão empréstimos para construir fábricas e empregar gente, mas sim a piratas corporativos para comprar empresas, demitir trabalhadores, contratar não-sindicalizados e no exterior, e fazer encolher a economia.”

14. Os banqueiros e seus grandes clientes aplicam os trilhões de capital, recebido do FED a juros quase zero, em títulos do Tesouro dos EUA, ganhando juros, e no exterior, por exemplo, Brasil, a juros de dois dígitos, e na Europa endividada, a taxas crescentes.

15. Eis, nas palavras de Hudson, a atitude dos banqueiros: “Quando os países ficam quebrados pelo encolhimento de suas economias, nós lhe dizemos: ‘privatizem suas propriedades, seu subsolo, os recursos naturais, privatizem seus sistemas telefônicos etc.; vendam-nos tudo, para que criemos monopólios e peguemos o dinheiro para nós mesmos.’ ...Por isso não queremos que vocês façam o que fazem os países civilizados: criar seu próprio dinheiro e administrar déficits governamentais.”

16. Vê-se, pois, que o desastre promovido, de há muito, no Brasil ganha corpo nos EUA,  especialmente em Estados, cidades e condados, bem como na maioria dos países europeus.

17. A maioria dos economistas julga que haverá queda significativa também na China. Entretanto, os dirigentes chineses estão reorientando a economia para o mercado interno e elevarão ainda mais os padrões de vida locais, pondo-se a salvo dos efeitos da crise mundial.

18. Procedem assim, porque não são controlados por banqueiros privados nem pela oligarquia ocidental. Por isso, trabalham na estrutura econômica. Não são crentes das políticas macroeconômicas keynesianas.

19. Essas panaceias do Ocidente são impotentes para debelar a depressão, porque o sistema de poder quer reforçar a tendência estrutural de maior concentração, o mesmo fator que determinou a intratável questão das dívidas.

20. Nos EUA, premidos pela profundidade da depressão, o FED, mais uma vez (setembro de 2012), recorre à expansão monetária. Vai resgatar de títulos do Tesouro e títulos hipotecários, estes no montante de US$ 40 bilhões por mês (Que mensalão!).

21. Assim, sobem as cotações das ações na Bolsa de Nova York e alimenta-se a procura especulativa por commodities, mas tudo isso está fadado a ruir abruptamente, logo que a depressão não possa ser mais camuflada.
Efeitos para o Brasil

22. O modelo dependente, através do qual as transnacionais se apoderaram da economia, causou deterioração estrutural. De sobra, deixa o país endividado (a dívida interna, em boa parte, está nas mãos de estrangeiros) e no limiar da crise nas contas externas.

23. Essa se aproxima com o esmorecer da procura mundial e da valorização dos minérios, processados ou não, o que eleva o insustentável déficit nas transações correntes com o exterior.

24. A crise no Brasil tende a inverter o fluxo de investimentos estrangeiros, os quais têm equilibrado o balanço de pagamentos, de modo nada salutar. Fator adicional de desequilíbrio é o aumento das taxas de juros das dívidas interna e externa, cujos montantes somam cerca de US$ 2 trilhões.

25. A atual política de investimentos, através de parcerias público-privadas e de financiamentos do BNDEs está criando elefantes brancos, cuja produção, uma vez concretizada, tende a causar prejuízos ao erário público, porquanto encontrará estagnados o mercado interno e a procura externa.

26. Não há, portanto, saída viável para o Brasil sem confrontação com as entidades predadoras conhecidas como “comunidade financeira internacional”, não só envolvendo auditoria da dívida e a supressão da indevida, mas também intervenção estatal na estrutura produtiva para acabar com a concentração em mãos de carteis transnacionais.

27. Esse indispensável curso de ação, embora doloroso nos estágios iniciais, resultaria em ganhos inestimáveis, inclusive porque não haveria maneira de levá-lo adiante sem gerar tecnologia nacional para produzir os bens de capitais e os insumos necessários ao reerguimento da economia.

28. De fato, mesmo excluindo retaliações dos países imperiais, o Brasil estará, de qualquer modo, impossibilitado de importar esses bens, em face do que apontei nos parágrafos 22 a 24.

* - Adriano Benayon é doutor em economia e autor de Globalização versus Desenvolvimento.

AUMENTARÃO OS DANOS CAUSADOS PELO NOVO CÓDIGO FLORESTA- CONFIRA.

PROJETO OBRIGA AGROINDÚSTRIAS A CONSTRUÍREM
SISTEMAS DE CAPTAÇÃO E ARMAZENAGEM DE ÁGUA

As empresas agroindustriais sediadas no estado de Santa Catarina poderão ser obrigadas a construir e manter sistemas de captação e armazenagem de água para uso emergencial nos períodos de estiagem. O tema é objeto do Projeto de Lei 138/2012, que tramita na Assembleia Legislativa por iniciativa do deputado Aldo Schneider (PMDB). 
Os sistemas de captação e armazenagem de água previstos no projeto de lei deverão obedecer a projetos técnicos aprovados por órgãos competentes, com vistas a garantir a autossuficiência para o funcionamento das empresas agroindustriais em períodos de estiagem prolongada. 
Conforme a proposição, as empresas agroindustriais que utilizam a produção primária catarinense para beneficiamento e industrialização deverão orientar e acompanhar o desenvolvimento de projetos de captação reserva e distribuição de água nas propriedades rurais que produzam matéria-prima para empresas. 
O autor do projeto explica que “as medidas até agora adotadas visando mitigar as conseqüências da estiagem na atividade agropecuária, principalmente na região Oeste catarinense, em sua maioria são emergenciais e paliativas. Ocorre que as estiagens que incidem no sul do país vêm sendo cada vez mais severas e prolongadas ao longo dos anos, provocando perdas da produção e da qualidade de vida no meio rural, causando enormes prejuízos econômicos, sociais e ambientais ao Estado”. Schneider sugere que o Poder Executivo, ao regulamentar a proposta, estabeleça os critérios e limites de participação das empresas agroindustriais, de acordo com a capacidade financeira, potencial de produção e respectiva carga tributária. 

Por Lisandrea Costa. 

27 de setembro de 2012

Qualidade de Vida - Ecologia em Ação - 29/09/2012


Tema: Qualidade de Vida em Joinville
Convidado: Sérgio Duprat


TV da Cidade

Programa Ecologia em Ação - produção e apresentação Gert Rolland Fischer.
Aos sábados das 18:30 as 19:00hs, reapresentação nas segundas 15:30 as 16:00hs, e nas madrugadas de domingos e terças na TV da Cidade Joinville - www.tvdacidade.com.br

25 de setembro de 2012

PRESIDENTE MILITAR - DISCIPLINA MILITAR COM A COISA PUBLICA.


Filha de Presidente Milico
ASSIM SÃO ESSES ESTRANHOS MILICOS...

Sou casado com Isolda Médici Crisóstomo, sobrinha e afilhada de batismo do Presidente Médici; tanto que ele, em 1970, (como Presidente) foi a Bagé para ser nosso padrinho de casamento. Mas o que gostaria de repassar são duas historias verídicas, para ressaltar o caráter deste Presidente Militar.
Em uma ocasião, durante seu governo, foi construída uma estrada moderna unindo as cidades de Bagé e Livramento. O Presidente Médici tinha uma fazendola (digo isto porque ela era realmente pequena), herança de seus avós. Acontece que esta fazendola, quando do projeto inicial, não estava no eixo desta estrada moderna. Médici foi consultado para saber se gostaria que, com um pequeno ajuste, a estrada viesse a passar na fazendola. A reação do Presidente foi imediata; proibiu que se fizesse alteração no projeto com este objetivo.
Em outra ocasião, sabedor que haveria um aumento no preço da carne, por repasses de vantagens do Governo, mandou que seu filho Sérgio vendesse uma "ponta" de gado, que já estava pronta, ANTES do aumento, para que não viessem a dizer ele se beneficiou com o aumento.
O Presidente Médici não morreu pobre, afinal veio da classe média e nela permaneceu. Morreu com o mesmíssimo patrimônio que tinha ao chegar à Presidência. Seus filhos, noras, netos e demais familiares jamais tiraram vantagens econômicas pelo cargo de seu parente ilustre.
Este e outros exemplos nos enchem de orgulho, de ter o PRESIDENTE MEDICI deixado este legado de honra, civismo e respeito ao Povo Brasileiro.
Pouco depois que cheguei a Berlim, o Presidente Geisel visitou a Alemanha. O Prefeito Stobbe subiu a escada do avião, recebeu Geisel no alto da escada e desceu com ele. Eu estava em baixo e havia dias antes feito a visita habitual ao Prefeito. Quando cumprimentei Geisel, o Prefeito disse mais ao menos isso em alemão: "Presidente, o seu Cônsul deve ser muito importante, pois acabou de chegar e já trouxe o Presidente a Berlim". Geisel sorriu.Uns meses despois a filha Lucy esteve em Berlim num programa cultural.Acompanhei-a durante o dia. Perguntei a ela se o pai falava alemão. Respondeu que não, talvez tivesse uma vaga noção. Explicou que sua mãe falava alemão, mas que o pai de Geisel era muito rigoroso e no tempo da guerra, como era proibido falar alemão, seu avô (o pai de Geisel) fazia questão que se falasse só português em casa e não ensinou alemão aos filhos.
ASSIM SÃO ESSES "ESTRANHOS MILICOS"! E falava-se horrores do Andreazza...que estaria riquíssimo, que teria ganho de presente das empreiteiras um edifício na beira da Lagoa Rodrigo de Freitas, que não tinha mais onde guardar dinheiro...
Não sei se Amália Lucy Geisel ainda estará viva. Pouco mais velha do que eu, tinha alguns problemas de saúde. Pois bem: ela era Professora do Colégio Pedro II e, mesmo quando o pai era Presidente, ia de casa ao trabalho de ônibus. Cansei de encontrá-la neles, ela e eu a caminho do centro do Rio. Meu pai chamava isso de "os três dês do milico": decência, decoro, discrição". Primeiro, morreu o Cel. Mário Andreazza. Quando Ministro dos Transportes, foi responsável pela construção da ponte Rio-Niterói, obra que teve empréstimo inglês de 2 bilhões dedólares (Sim! Dois bilhões! De dólares!). Por ocasião de sua morte, seus 37 colegas de turma tiveram de fazer uma vaquinha para que o corpo pudesse ser transladado para o Rio Grande do Sul.
Portanto, depois de gerenciar tanta verba pública bem administrada, diga-se de passagem, morreu pobre. Já em 2003, foi a vez de Dona Lucy Beckman Geisel. Seus últimos anos de vida, viveu de forma pobre e discreta. Morreu em acidente de carro na lagoa Rodrigo de Freitas. Ano passado, foi a vez de dona Dulce Figueiredo, que ficou viúva em 1999, do último Presidente militar.
Em 2001, devido a problemas financeiros, teve que organizar um leilão para vender objetos pessoais do marido. Foi a forma que encontrou para sobreviver dignamente.
Faça suas comparações com os políticos de hoje e compare o estilo de vida do último presidente brasileiro, de sua mulher, que frequentam o mais caro cabeleireiro do Brasil, as mais caras butiques, os mais caros cirurgiões plásticos, gastou os mais altos valores do cartão de crédito, que não precisava prestar contas. Nunca fez um trabalho social pelo Brasil. Só o que fez foi viajar com o marido por todos os lugares do mundo, às expensas do suor dos brasileiros trabalhadores.Seus filhos enriqueceram da noite para o dia.
Isto é que são políticos "populares".
Tirem suas próprias conclusões.
******************* 
Ou vc prefere esses?



20 de setembro de 2012

Lei Municipal - Joinville - Resíduos Especiais

Tema: Lei Municipal - Joinville - Resíduos Especiais

TV da Cidade

Programa Ecologia em Ação - produção e apresentação Gert Rolland Fischer.
Aos sábados das 18:30 as 19:00hs, reapresentação nas segundas 15:30 as 16:00hs, e nas madrugadas de domingos e terças na TV da Cidade Joinville - www.tvdacidade.com.br

16 de setembro de 2012

Eng.Agr. Ana Maria Primavesi


Em meados de 90 do seculo vinte, a colega Ana Maria Primavesi vei a Santa Catarina para conversar com os agricultores do vale do Itapocú num evento promovido pela Epagri de Guaramirim. Convidada pelos engenheiros agrônomos que coordenavam o evento, foi lhe dado a palavra e começou a falar sobre o solo com os agricultores presentes, a maioria rizicultores.
Com 75 anos, Primavesi falou da sua paixão: o solo vivo.
Emotiva, simples, falando o linguajar dos colonos e dos rizicultores cativou a plateia. Conversava mansa e pousadamente sobre o solo sem tóxicos, sem agrotóxicos e sem adubos químicos. Sou amiga do solo natural e falou que a ecologia do solo faz as plantas se desenvolverem muito bem, melhor do que em terras envenenadas.
Foi falando dessa agricultura orgânica tropical, quando intempestivamente a sua fala foi  interrompida por um colega eng. agrônomo do serviço de assistencia tecnica do Estado, que exaltado a desacatou. Esbravejando aos critos a rotulou de mentirosa, de uma agitadora que nada do que estava falando eram tecnicas recomendadas pela Secretaria da Agricultura do Estado de SC. Os organizadores dando apoio ao exaltado colega pediram para que ela se retirasse do recinto pois ela não estava bem da cabeça e que estava fora da realidade.
Sem nada falar, acompanhei a colega Primavesi para fora do salão de bailes em Guramirim. Como idosa, pediu para descançar num gramado proximo usando as sombras das arvores.
Aos poucos começaram a chegar os agricultores que pediram desculpas pelo ocorrido e que gostariam que ela continuasse. Sem local apropriado, todos sentados a volta da agricultora organica e tambem engª agronoma mais de 60 familias de agricultores a escutaram num silencio e prestando muita atenção.
Parecia um milagre que tinha acontecido. A algazarra do salão, se transformou num verdadeiro culto a natureza e à vida. Assim foram horas conversando mansamente com os agricultores, falando como os agricultores gostam e sabem compreender quando outro agricultor fala sobre os metodos naturais que aplica no sistema que favorece a vida.
Para mim, que estava do lado de Ana Maria Primavesi, editando um livro intitulado MENOS VENENDO NO PRATO, que seguia a mesma doutrina de ensimamentos, experiencias semelhantes de constrangimentos e assédio tecnico, tambem foram desferidas contra mim.
Tranquilizei a colega Ana Maria Primavesi que não deveria ficar irritada com o comportamento dos colegas, que jamais tiveram a oportunidade na vida pratica com os pais,  nas faculdades de agronomia e posteriormente atuando no serviço publico, de se relacionar com solos vivos, com técnicas que não utilizavam os agrotóxicos e adubos químicos. Mostrei a Ana Maria que o sistema capitalista de atrelamento aos produtos das multinacionais, havia formatado a cabeça desses moços engenheiros agrônomos.  Muitos dos presentes eram fanáticos receitadores de agroquímicos, pois os baixos salários pagos pela Secretaria da Agricultura e EPAGRI, obrigavam muitos a se dedicar nas "horas de folga" na venda de produtos venenosos   auferindo na maioria das vezes mais comissões que o próprio salario do serviço publico.
O sistema de Ana Maria Primavesi estava colocando em risco o bom negocio dos venenos que muitos estavam praticando.
Em 1985 quando participei do Congresso Nacional de Agronomia em Florianópolis, apresentei um  trabalho de pesquisa que havia realizado no município de Massaranduba, o maior produtor de arroz de SC. A pesquisa tinha sido facilitada pela comunidade luterana que chamou mais de 100 famílias para receber treinamentos para responderem o questionário que havia sido preparado para a pesquisa.
Depois de computados os resultados, chegaram-se a grosso modo informações estarrecedoras, que jamais haviam sido divulgadas para a sociedade, para os agricultores e para os consumidores. Elevados índices de intoxicação, mortes, aposentadorias precoces, elevadíssimas doses receitadas, totalmente foram das recomendações dos fabricantes, a cooperativa foi envolvida na cumplicidade do bom negocio que acontecia e depois de apresentado o trabalho no congresso, os jornais estaduais no dia seguinte deram o alarde bombástico e irresponsável deixando alguns setores muito apreensivos.
A retaliação que sofri e que o pastor luterano também sofreu, foi constrangedora. Eu fui na mesma semana condenado pela câmara de vereadores de Massaranduba onde havia um vereador da empresa DIPPIL fabricante de agrotóxicos para conservação da madeira, que propôs moção para me execrar com o titulo de CIDADÃO INIMIGO DE MASSARANDUBA. A votação foi por maioria absoluta.
Tamanho era a desinformação oferecida para os agricultores, consumidores e o meio ambiente.
O sistema perverso imposto pelas empresas dos agrotóxicos, havia blindado toda a transparencia que eu conseguira furar com a pesquisa, que um ano depois foi inserida em um livro de autoria de José Lutzemberger e Michael Schwartzkopf  intitulado Giftige Ernte - Safras venenosas - 1988 Eggenkmp Verlag recomendado pela ONG alemã BUND - Bund für Umwelt und Naturschutz Deutschland e pela PAN - Pestzid Aktion Netzwerk da qual a APREMA-SC era coordenadora para o Brasil-PAN-BR.


Jabor cidadão brasileiro que não é babaca.


Jabor - Gostem ou não, o texto é imperdível!
Brasileiro é um povo solidário. Mentira. Brasileiro é babaca. Eleger para o cargo mais importante do Estado um sujeito que não tem escolaridade e preparo nem para ser gari, só porque tem uma história de vida sofrida;
Pagar 40% de sua renda em tributos e ainda dar esmola para pobre na rua ao invés de cobrar do governo uma solução para pobreza;

Aceitar que ONG's de direitos humanos fiquem dando pitaco na forma como tratamos nossa criminalidade. ..

Não protestar cada vez que o governo compra colchões para presidiários que queimaram os deles de propósito, não é coisa de gente solidária.

É coisa de gente otária.

Brasileiro é um povo alegre. Mentira.
Brasileiro é bobalhão.
Fazer piadinha com as imundices que acompanhamos todo dia é o mesmo que tomar bofetada na cara e dar risada.

Depois de um massacre que durou quatro dias em São Paulo , ouvir o José Simão fazer piadinha a respeito e achar graça, é o mesmo que contar piada no enterro do pai.

Brasileiro tem um sério problema.

Quando surge um escândalo, ao invés de protestar e tomar providências como cidadão, ri feito bobo.

Brasileiro é um povo trabalhador.. Mentira.
Brasileiro é vagabundo por excelência.
O brasileiro tenta se enganar, fingindo que os políticos que ocupam cargos públicos no país, surgiram de Marte e pousaram em seus cargos, quando na verdade, são oriundos do povo.

O brasileiro, ao mesmo tempo em que fica indignado ao ver um deputado receber 20 mil por mês, para trabalhar 3 dias e coçar o saco o resto da semana, também sente inveja e sabe lá no fundo que se estivesse no lugar dele faria o mesmo.

Um povo que se conforma em receber uma esmola do governo de 90 reais mensais para não fazer nada e não aproveita isso para alavancar sua vida (realidade da brutal maioria dos beneficiários do bolsa família) não pode ser adjetivado de outra coisa que não de vagabundo.

Brasileiro é um povo honesto. Mentira.
Já foi; hoje é uma qualidade em baixa.
Se você oferecer 50 Euros a um policial europeu para ele não te autuar, provavelmente irá preso.
Não por medo de ser pego, mas porque ele sabe ser errado aceitar propinas.
O brasileiro, ao mesmo tempo em que fica indignado com o mensalão, pensa intimamente o que faria se arrumasse uma boquinha dessas, quando na realidade isso sequer deveria passar por sua cabeça.


90% de quem vive na favela é gente honesta e trabalhadora. Mentira.
Já foi.
Historicamente, as favelas se iniciaram nos morros cariocas quando os negros e mulatos retornando da
Guerra do Paraguai ali se instalaram.
Naquela época quem morava lá era gente honesta, que não tinha outra alternativa e não concordava com o crime.

Hoje a realidade é diferente.

Muito pai de família sonha que o filho seja aceito como 'aviãozinho' do tráfico para ganhar uma grana legal.

Se a maioria da favela fosse honesta, já teriam existido condições de se tocar os bandidos de lá para fora, porque podem matar 2 ou 3 mas não milhares de pessoas.

Além disso, cooperariam com a polícia na identificação de criminosos, inibindo-os de montar suas bases de operação nas favelas.


O Brasil é um pais democrático. Mentira.

Num país democrático a vontade da maioria é Lei.

A maioria do povo acha que bandido bom é bandido morto, mas sucumbe a uma minoria barulhenta que se apressa em dizer que um bandido que foi morto numa troca de tiros, foi executado friamente.

Num país onde todos têm direitos mas ninguém tem obrigações, não existe democracia e sim, anarquia.

Num país em que a maioria sucumbe bovinamente ante uma minoria barulhenta, não existe democracia, mas um simulacro hipócrita.

Se tirarmos o pano do politicamente correto, veremos que vivemos numa sociedade feudal: um rei que detém o poder central (presidente e suas MPs), seguido de duques, condes, arquiduques e senhores feudais (ministros, senadores, deputados, prefeitos, vereadores).

Todos sustentados pelo povo que paga tributos que têm como único fim, o pagamento dos privilégios do poder. E ainda somos obrigados a votar.


Democracia isso? Pense !

O famoso jeitinho brasileiro.

Na minha opinião
, um dos maiores responsáveis pelo caos que se tornou a política brasileira.
Brasileiro se acha malandro, muito esperto.

Faz um 'gato' puxando a TV a cabo do vizinho e acha que está botando pra quebrar.

No outro dia o caixa da padaria erra no troco e devolve 6 reais a mais, caramba, silenciosamente ele sai de lá com a felicidade de ter ganhado na loto... malandrões, esquecem que pagam a maior taxa de juros do planeta e o retorno é zero. Zero saúde, zero emprego, zero educação, mas e daí?

Afinal somos penta campeões do mundo né
?? ?
Grande coisa...

O Brasil é o país do futuro. Caramba , meu avô dizia isso em 1950. Muitas vezes cheguei a imaginar em como seria a indignação e revolta dos meus avôs se ainda estivessem vivos.

Dessa vergonha eles se safaram...

Brasil, o país do futuro !?

Hoje o futuro chegou e tivemos uma das piores taxas de crescimento do mundo.

Deus é brasileiro.

Puxa, essa eu não vou nem comentar... O brasileiro merece! Como diz o ditado popular, é igual mulher de malandro, gosta de apanhar. Se você não é como o exemplo de brasileiro citado nesse e-mail, meus sentimentos amigo, continue fazendo sua parte, e que um dia pessoas de bem assumam o controle do país novamente.

Aí sim, teremos todas as chances de ser a maior potência do planeta.

Afinal aqui não tem terremoto, tsunami nem furacão.

Temos petróleo, álcool, bio-diesel, e sem dúvida nenhuma o mais importante: Água doce!

Só falta boa vontade, será que é tão difícil assim?

Arnaldo Jabor
Quando somos convocados pra sair nas ruas pra gritar contra tudo isso não comparecemos, mas quando o assunto é parada Gay, somos 2 milhões de babacas dançando e rindo.
FAÇA A SUA PARTE (SE QUISER) SE FOR REALMENTE BRASILEIRO REPASSE

GLOBALIZAÇÃO - UM PROJETO PERFEITO PARA SUBJUGAR OS POVOS.

A CANALHA ESTA SEM SAIDAS SE CONSIDERARMOS AINDA EXISTIR ÉTICA NO STF.


MARCOS VALÉRIO
O OTÁRIO APÁTRIDA TRAÍDO PELO “CHEFE” E ILUDIDO PELOS SEUS ADVOGADOS A UM PREÇO MILIONÁRIO
“Só não sobrou para o Lula porque eu, o Delúbio e o Zé não falamos”, disse [Marcos Valério], na semana passada, em Belo Horizonte. Indagado, o ex-presidente não respondeu..."
"O PT me fez de escudo, me usou como um boy de luxo. Mas agora vai todo mundo para o ralo”.
(Revista Veja)
Neste domingo a Revista Veja publica algumas “inconfidências” de pessoas ligadas a Marcos Valério que comprometem Lula. O castelo de cartas do suborno de dezenas de personalidades esclarecidas canalhas, dos segmentos mais influentes da sociedade, poderá começar a ruir.
A questão é que Marcos Valério, seguindo sua linha de absoluta covardia – mandar recados por terceiros –, poderá negar tudo o que confidencia aos seus amigos e cúmplices, mesmo que passe o resto dos dias na cadeia, enquanto o seu “chefe” continua se tornando um dos homens mais ricos do Brasil.
Julgado pelo STF como culpado de crimes associados ao escândalo do “Mensalão”, Marcos Valério deve estar amargando a confiança depositada nos canalhas da gang dos 40 e no seu “chefe”, que está próximo de ser reconhecido publicamente por mais de cem milhões iludidos com o assistencialismo subornador e comprador de votos praticado há mais de dez anos pelos desgovernos petistas.
Estamos agora aguardando o tamanho da pena de Marcos Valério que será a de passar o resto dos seus dias na cadeia – se a Justiça no país tiver recuperado um pouco da vergonha – ou virar apenas um boi de piranha com pena mínima, mas com um futuro material de fazer inveja a outros corruptos por graça e obra dos togados de um Tribunal Superior aparelhado pelo PT, que não tem mais como blindar tanta gente sórdida, mesmo que estabeleça vergonhosas penas obedecendo às ordens dos que os indicaram seus componentes para vestir toga.
Este corrupto e seus cúmplices devem ser considerados, mesmo que indiretamente, uma corja de assassinos genocidas que não merecem preocupação de ninguém, devendo pagar por terem sido os principais facilitadores que permitiram à gang do petismo roubar bilhões dos contribuintes para corromper e subornar o Parlamento para aprovar projetos do mais sórdido político de nossa história, projetos aprovados de forma comprovadamente ilícita que deveriam ser agora questionados na Justiça se ela não estivesse contaminada pelo aparelhamento petista e deixasse de ser sem-vergonha.
A falta do dinheiro desviado dos cofres públicos por esses canalhas foi e continua sendo responsável por centenas de mortes todos os anos daqueles que não tiveram direito à saúde, à segurança publica e ao saneamento básico.
Terminada a fase inicial do julgamento, já é um crime comprovado a existência do “Mensalão”. Seus autores estão gradualmente sendo condenados. O próximo passo será prender o chefe – que não é José Dirceu: a sociedade já sabe e o STF precisa reconhecer o canalha “anônimo” pelas denúncias que serão feitas pelos que estão sendo condenados. Se o STF cumprir o seu papel e não recuar nas penas pelas ameaças do sistema petista, quase muitos irão abrir o bico, pois será uma grande sacanagem os quadrilheiros serem condenados e o chefe ficar livre, leve e solto. O justo é que todos compartilhem espaços nas prisões do país.
Todos os “caminhos” estão levando Lula ser formalmente reconhecido como o chefe da gang, e a revolta com sua aparente blindagem pelos esclarecidos canalhas já começa a ser desenhada nas mensagens como essa, recentemente divulgada na internet:
“Não podemos achar que a condenação da arraia miúda satisfaça nossa sede por justiça, o principal responsável pela tragédia que se abateu sobre o Brasil não pode ficar impune, Lula tem que ser julgado e condenado, não basta ser julgado tem de ser condenado pelo mal que fez ao país e pelo mal que ainda estar por chegar, o aumento escandaloso da divida interna que levará esse país a falência.” Resistencia-Democrática-Sérgio Vanuza.
A situação do STF se complica cada vez mais. Depois de parecer durante mais de dez anos à sociedade como lacaio do Poder Executivo e empurrando com a barriga, de forma absolutamente imoral, o julgamento, agora não tem como deixar impunes os canalhas do “Mensalão”, precisando também enfrentar a denúncia que um dos seus atuais togados está diretamente envolvido neste mesmo escândalo, o que moralmente desqualifica seus votos no tribunal.
O resgate da credibilidade do STF e do próprio Poder Judiciário perante a sociedade está associado à sua postura jurídica diante do escândalo do “Mensalão”. As condenações e as penas a serem cumpridas não podem ser influenciadas pelo poder que está nas mãos sujas do PT, devendo servir de exemplo para que, no futuro, aventureiros da política prostituída não se atrevam fazer novamente mais da metade da sociedade de idiota e palhaça de um novo Circo da Corrupção e do Suborno.
A situação do assistencialismo petista é a mesma do que uma favela controlada por traficantes que tentam, através de sistemáticas “doações” para as comunidades, convencer todos a fecharem os olhos para os seus crimes e para o tráfico que passa nas suas portas: depois de descoberto o esquema, o (s) chefe (es) precisam ser presos e pagar pelos seus crimes, com isso levando as comunidades a terem uma vida digna sem favores dos traficantes e do Estado, como proteção de milícias e compra de votos, mas apenas exigindo que o Poder Público cumpra suas funções na educação, na saúde, no saneamento e na segurança pública.
Está mais do que evidente o projeto de poder do PT.
Não é um projeto de viés socialista ou capitalista com controle do Estado. É um projeto autoritário fascista com o Estado a serviço das burguesias e oligarquias corruptas públicas e privadas dominadas por um partido político e o núcleo de uma base aliada degenerada. É um projeto de “privatização” do Estado para servir apenas aos interesses de um partido, o PT, e não para servir à sociedade.
Geraldo Almendra
16/09/2012

14 de setembro de 2012

Caixote tombado em área de preservação permanente.



O Jornal A Noticia publicou essa imagem sobre uma "casa" que tombou com o vendaval do dia 12 de Setembro de 2012. Olhando para o cenário, tenho a seguinte visão do fato:

  1. Não ouve qualquer tipo de assistência da Prefeitura para autorizar a construção da casa demonstrando a total  ilegalidade.
  2. O caixote ilegal, sem qualquer amarração aos pilares, tombou no mangue invadido e não em um córrego como fora noticiado. Portanto estava em local de preservação permanente. Área proibida de ocupação.
  3. O terreno ocupado sequer tem uma escritura ou registro no cartório de imoveis. 
  4. Nessas condições não teria ligação de energia elétrica e água encanada. 
  5. Nessas condições as pessoas que foram vitimas do temporal, legalmente nada tem a requerer dos contribuintes. 
Fica o registro. 

ARGENTINA PROIBE FUMIGAÇÕES AÉREAS

Amigos:
Una buena noticia! Anoche el Concejo Deliberante de Marcos Paz prohibió por unanimidad las fumigaciones aereas con agrotóxicos en todo el partido. La presentación fue hecha por la comunidad educativa de la Escuela Rural N°7 y es parte de un proceso en el que muchos hemos aportado. Quedó en discusión otro Proyecto para limitar las fumigaciones terrestres con el compromiso de los concejales de tratarlo a la brevedad luego de hacer una consulta intersectorial.

Acompaño el texto aprobado!
Un abrazo
Carlos

Despacho Unánime de la Comisión de Acción Social, Medio Ambiente y Seguridad.

Visto:

La necesidad de controlar el correcto manejo de agroquímicos, evaluar los riesgos y beneficios de la utilización. Y Considerando:
El Fallo Judicial ocurrido en la Provincia de Córdoba.
La Ley 10699 de la Provincia de Buenos Aires.
El Art. 28 de la Constitución Provincial.
El Art. 41 de la Constitución Nacional.
Art. 2 y 4 de la Ley 25675, “ley general de ambiente”.
Que la provincia de buenos aires es el principal consumidor y aplicador de agroquímicos del país, y que su empleo reporta un notable incremento en los niveles de rentabilidad como consecuencia de la sanidad agropecuaria Que según el trabajo “plaguicidas en la provincia de buenos aires: toxicología, ecotoxicología y aspectos ambientales”, elaborado por el OPDS, muchos de los pesticidas empleados en las actividades agrícolas desarrolladas en el partido de Marcos Paz representan un riesgo para la salud humana.
Que la aplicación incorrecta de productos tóxicos acarrea graves inconvenientes ambientales y sanitarios, consecuencias que pueden y deben ser evitadas a través de un controlador eficiente por parte de las autoridades y organismos encargados específicos.
Que es preciso reducir al mínimo los peligros y riesgos que supone la utilización de agroquímicos para la salud y el medio ambiente.
Que el uso de productos fitosanitarios para plantas hortícolas, frutales y ornamentales se esta generalizando.
Que las dosis letales (DL 50) tanto orales o dérmicas son poco divulgadas en nuestra comunidad y escuelas.
Que es necesario adoptar el marco normativo adecuado maximizando la prevención, teniendo en miras la vulnerabilidad de la población y no tan solo el perfil toxicológico del riesgo que implica su utilización.
Que estas actividades tienen un grado de incompatibilidad con la residencia, afectando la calidad de vida de los vecinos.
Que han sido registrados en nuestro país diversos episodios de mortandad masiva de fauna, tanto silvestre como domestica y/o productiva, presumiblemente ocasionadas por el empleo irresponsable de los productos plaguicidas de uso agrícola. Que una adecuada gestión de los envases vacíos de fitosanitarios y sus contenidos remanentes disminuirá considerablemente los riesgos de contaminación de los diferentes compartimientos ambientales.
Que es fundamental establecer un adecuado sistema de monitoreo de las actividades agrícolas, especialmente el uso de plaguicidas determinando penalidades especificas para quienes no cumplan con las reglamentaciones vigentes.
Que otro aspecto fundamental es poder tener la capacidad para es acompañar al productor que deba readecuarse en su actividad por esta ordenanza.
Que el objetivo de la presente ordenanza es la propensión a la protección de la salud humana y de los ecosistemas, tratando de evitar la contaminación ambiental.
Por todo lo expuesto los concejales pertenecientes a la comisión de acción social, salud, medio ambiente y seguridad con el voto de todos sus miembros proponen el siguiente proyecto de; 

ORDENANZA
Art. 1: Prohíbanse las aplicaciones aéreas de agroquímicos, con destino al uso agropecuario, cualquiera sea el producto activo o formulado, así como su dosis en todo el territorio del Partido de Marcos Paz. Quedando exceptuadas las campañas sanitarias realizadas por Nación, Provincia o Municipio
Art. 2: Queda expresamente prohibido que aeronaves utilizadas en la aplicación aérea de agroquímicos y fertilizantes, circulen o sobrevuelen los centros urbanos, aun después de haber agotado su carga.
Art. 3: Para la fumigación terrestre en el partido de Marcos Paz se respetaran las siguientes condiciones:
1. En las zonas donde existan establecimientos educativos rurales debe efectuarse la aplicación de productos agroquímicos y/o plaguicidas: fuera del horario de clases, debiendo comunicar 72 (setenta y dos) horas antes al establecimiento con copia al consejo escolar día y horario en que se realizara la aplicación. Se deberán establecer barreras forestales de un mínimo de tres filas en trebolillo de especies autóctonas en todo el perímetro de las escuelas rurales, según criterios de las áreas competentes del DEM, a los efectos de lograr una barrera de protección natural permanente.
Art. 4: Toda transgresión a la presente ordenanza serán sancionadas con las disposiciones del Código de Faltas Municipal y lo previsto en la legislación nacional y provincial vigente en la materia.
Art. 5: Se recomienda al DEM arbitre todos los medios necesarios en conjunto con la secretaria de prensa, la secretaria de ambiente y espacio público, y el Consejo Escolar para la plena difusión de la presente ordenanza.
Art. 6: La presente ordenanza entra en vigencia a los 60 días luego de su aprobación.
Art. 7: De forma --

Enviado por:
Carlos A. Vicente Acción por la Biodiversidad Salta
60 (1727) Marcos Paz Buenos Aires Argentina Teléfono: +549 11 63088809,
011 15 63088809 www.biodiversidadla.org Suscríbase a las novedades del

A SAUDOSA ÉPOCA DA DITADURA

Bem humorado e... bem verdadeiro!!!


ÉPOCA DA DITADURA

Na época da 'chamada' ditadura...
Podíamos namorar dentro do carro até a meia-noite sem perigo de sermos
mortos por bandidos e traficantes.
Mas, não podíamos falar mal do presidente.

Podíamos ter o INPS como único plano de saúde sem morrer a míngua nos
corredores dos hospitais.
Mas não podíamos falar mal do presidente.

Podíamos comprar armas e munições à vontade, pois o governo sabia quem
era cidadão de bem, quem era bandido e quem era terrorista,
Mas, não podíamos falar mal do Presidente.

Podíamos paquerar a funcionária, a menina das contas a pagar ou a
recepcionista sem correr o risco de sermos processados por “assédio
sexual”,
Mas, não podíamos falar mal do Presidente.

Não usávamos eufemismos hipócritas para fazer referências a raças (ei!
negão!), credos (esse crente aí!) ou preferências sexuais (fala! sua
bicha!) e não éramos processados por “discriminação” por isso,
Mas, não podíamos falar mal do presidente.

Podíamos tomar nossa redentora cerveja no fim do expediente do trabalho
para relaxar e dirigir o carro para casa, sem o risco de sermos jogados à
vala da delinquência, sendo preso por estar “alcoolizado”,
Mas, não podíamos falar mal do Presidente.

Podíamos cortar a goiabeira do quintal, empesteada de taturanas, sem que
isso constituísse crime ambiental,
Mas, não podíamos falar mal do presidente.

Podíamos ir a qualquer bar ou boate, em qualquer bairro da cidade, de
carro, de ônibus, de bicicleta ou a pé, sem nenhum medo de sermos
assaltados, sequestrados ou assassinados,
Mas, não podíamos falar mal do presidente.

Hoje a única coisa que podemos fazer...

...é falar mal do presidente!
Que merda!

13 de setembro de 2012

Água de Joinville - Ecologia em Ação - 13/09/2012

Tema: Esgoto e Água de Joinville
Convidada: Henrique Chiste Neto

TV da Cidade

Programa Ecologia em Ação - produção e apresentação Gert Rolland Fischer.
Aos sábados das 18:30 as 19:00hs, reapresentação nas segundas 15:30 as 16:00hs, e nas madrugadas de domingos e terças na TV da Cidade Joinville - www.tvdacidade.com.br

governo esta perdido heheheheheheheheh



Governo quer evitar o que aconteceu no dia 5/09 (acima), apesar do número de parlamentares, falta de acordo inviabilizou a votação da MP do Código. Foto: Gustavo Lima/Agência Câmara

Governo sobe o tom com a bancada ruralista para tentar aprovar a MP do Código Florestal. Ontem, o presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), avisou que colocará a matéria na pauta de votação do plenário nos dias 18 e 19/9. É o último esforço para que a MP não caduque no
dia 8 de outubro. Se a MP perder a validade, o governo ameaça cobrar as multas aplicadas a produtores por desmatamento até julho de 2008. A informação foi divulgada hoje em nota da coluna de Ilimar Franco, em O Globo.

As multas são aquelas adiadas pelo decreto nº 6.514, de 22 de julho de 2008, prorrogado 5 vezes desde a sua edição. O decreto expirou no dia 11 de junho e uma interpretação é que as multas voltaram a valer. O governo está usando esta sombra para pressionar a bancada ruralista.

O impasse para que o plenário da Câmara vote a MP gira em torno de qual texto será votado. O governo insiste em votar o texto original da medida provisória 571.

O texto sofreu modificações quando estava sendo analisado na comissão mista. Os ruralistas conseguiram aprovar uma emenda que retirava a proteção dos rios intermitentes, aqueles que secam em determinada época do ano. Para anular a emenda considerada desastrosa, a comissão negociou com a bancada ruralista uma regra que reduziu a proteção de margens de rio (até 15 módulos fiscais). No dia seguinte, o governo renegou o acordo da comissão mista.

Os ruralistas querem a aprovação do texto negociado na comissão mista. O governo sabe que no plenário eles ganham. Sem acordo no horizonte, a medida provisória poderá perder a validade no próximo dia 8 .

--
JOÃO GUILHERME WEGNER DA CUNHA
GEÓLOGO

55 48 9911-1887 / 55 48 3364-1887

CONHECIMENTO É A CAPACIDADE DE TRANSFORMAR INFORMAÇÃO EM ESTRATÉGIA.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget