13 de julho de 2012

Bombeiros produzem um vulcão incandescente no aeroporto de Joinville


O JORNAL A NOTICIA de 13.07.12 - coluna do Saavedra, foi noticiado treinamento de bombeiros no aeroporto. O cilindro de fumo elevou-se a mais de 500 metros na atmosfera.

Pelo tom da fumaça, pela opacidade do negrume, suspeita-se que foram incinerado resíduos toxicos diversos. As emissões são consideradas muito perigosas para a atmosfera. Foi algo assustador. O diâmetro da base de incineração no solo foi de mais de 25 metros. Usualmente são utilizados como combustíveis materiais sólidos e hidrocarbonetos que causam essa gigantesca combustão. O vulcão foi observado de muitos quilômetros de distancia.

Em treinamentos semelhantes realizados pelas corporaçoes de bombeiros de Joinville, oleos contaminados, ascarel, lixo toxico, poliuretano, eps, plasticos, pneus, quebras quimicas, lampadas, etc. são considerados como da classe I e II pela norma ABNT 10.004.

Esses lixos tóxicos sempre foram "doados" por industrias que -deveriam dar outra destinação aos mesmos de acordo com a lei 12.305. 

Os residuos classes I  que recebem tratamento complexo nas centrais licenciadas sob rigorosas condições tecnicas  tem custos de afastamento elevados. Os classe II, com tratamento menos rigoroso, ainda exigem elevados custos para o tratamento certificado.
O setor empresarial sempre se valeu de estratégias de afastamento que reduzissem os custos que no Brasil, são insignificantes, quando comparados com as tabelas dinamarquesas, alemãs, francesas, entre outros países da região do Euro.

Em Joinville ha aproximadamente 30 anos, quando o corpo de bombeiros voluntários realizava treinamentos em sua sede central, o vazamento de hidrocarbonetos para a rede pluvial com descargas no rio Mathias, próximo ao atual Shopping Mueller, ao chegarem a travessia da Rua João Colin encontraram um colchão que fez com que os oleos se acumulassem. Uma brincadeira de crianças, ateou fogo ao Mathias causando a destruição pelo fogo de 4 residencias no inicio da Visconde de Tauny. 

Seria oportuno que os órgãos como Fundema, Fatma e IBAMA, liberassem tais treinamentos, mediante apresentação dos respectivos projetos minimização de impactos com viabilidade ambiental controlada dos treinamentos.

Com a declaração de procedência das "doações" de resíduos tóxicos e perigosos, os volumes, a energia que será gerada e o destino das águas de apagamento do fogo, acidentes e incidentes poderão ser facilmente controlados numa área tão próxima aos magues da Baia da Babitonga. 

Gert Roland Fischer
Auditor Ambiental Certificado.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget