8 de dezembro de 2011

Mais de 5 milhões de litros de agrotóxico foram despejados em 2010

Mais de 5 milhões de litros de agrotóxico foram despejados em 2010
O Brasil é um dos maiores consumidores de agrotóxicos do mundo. Os efeitos do uso exagerado nas lavouras chegam rapidamente às cidades.


O Brasil é um dos maiores consumidores de agrotóxicos do mundo. Os efeitos do uso exagerado nas lavouras chegam rapidamente às cidades.

É soja a perder de vista. Lucas do Rio Verde é um dos cinco maiores produtores agrícolas de Mato Grosso e um grande consumidor de agrotóxicos: em 2010, mais de cinco milhões de litros foram despejados nas lavouras.

Em Lucas do Rio Verde, a distância entre a zona rural e a zona urbana é muito pequena. O que uma pesquisa mostrou é que os agrotóxicos usados na lavoura já não ficam mais só no campo. Já chegaram à cidade.

O sinal de alerta foi dado pelo pesquisador da Universidade Federal de Mato Grosso, Wanderlei Pignati.

Ele contou com a ajuda de estudantes de escolas públicas. Durante três anos, entre 2007 e 2010, eles coletaram amostras de água. Dos 12 poços de água potável analisados, 83% estavam contaminados com resíduos de vários tipos de agrotóxicos.

Na avaliação da Secretaria Municipal de Saúde, não há risco para a população. “Os resíduos encontrados estão dentro do permitido pela legislação. Estão próprios para consumo humano”, disse Pascoal de Oliveira Júnior, secretário de Saúde.

Mas a pesquisa foi além: constatou que não era só a água potável que estava contaminada. Mais da metade das amostras de água da chuva, também.

O que mais impressionou foi o resultado da análise do leite materno de 62 mulheres que estavam amamentando. Todas as amostras tinham presença de pelo menos um tipo de agrotóxico. Leydiane foi uma dessas mulheres. “A gente nunca imaginava que poderia pegar no leite uma coisa que vem do ar, e ir para no sangue. A gente fica surpreso”, contou a dona de casa Leydiane de Amorim dos Santos.

Para o pesquisador da UFMT, Wanderlei Pignati, a contaminação das mulheres pode ter provocado problemas nas gestações. “A gente verificou que um percentual bastante elevado já tinha tido algum aborto”.

O Brasil é o maior consumidor mundial de agrotóxicos. No ano passado, ultrapassamos a marca de um milhão de toneladas, segundo dados da Anvisa.

A indústria de defensivos agrícolas tem uma explicação: “Um país tropical tem a possibilidade de produzir duas safras dentro de um ano calendário, coisa que os países que têm inverno rigoroso não têm. Mas se eu faço duas safras ou até três safras irrigadas, eu não consigo eliminar a existência de pragas e ervas daninhas, e aí o nosso consumo é maior”, afirmou Eduardo Daher, diretor executivo da Andef.

Não é só a quantidade. O perigo também pode estar nos tipo de agrotóxicos usados no Brasil. Muitos deles já foram banidos em outros países. São 14 os ingredientes ativos, substâncias usadas nas fórmulas dos agrotóxicos que estão na mira da Anvisa.

Mas de 2008 até agora, a agência conseguiu proibir apenas dois e determinou a retirada progressiva do mercado de outros dois. E enfrenta 11 ações na Justiça movidas pelos fabricantes de agrotóxicos.
Essa nova geração quer que a vida no campo seja diferente. “A conscientização é da população e dos agricultores a fim de que eles venham a utilizar esses defensivos de forma racional e na dosagem certa em vez de pensar que precisa produzir mais e não importa o resto”, afirmou Bruno Felipe Camara, de 17 anos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget