12 de julho de 2011

contaminação por agrotóxicos

Data: 12/7/2011 15:57:42
Assunto: Livrevista - Projeto Unesp
 
Caro Gert Fischer,

Sou aluno de jornalismo da Unesp de Bauru e participo da Livrevista, um projeto que visa divulgar as informações mais relevantes de cada mês.
Nesta edição, estou escrevendo uma matéria sobre a contaminação por agrotóxicos.
A lavoura que conta com o apoio de agrotóxicos é 40% mais produtiva que a lavoura comum, e o alimento sai 30% mais barato. Sendo assim, proibir o uso de agrotóxicos poderia auxiliar no aumento da fome no mundo.
Com base nisso, gostaria que o senhor comentasse sobre o assunto, ressaltando alguns casos de produção agrícola sem agrotóxicos que, mesmo assim, são lucrativas e acabam compensando para o consumidor; quais são as soluções para os consumidores não correrem riscos com os agrotóxicos; quais malefícios os agrotóxicos podem causar na saúde humana; além de quaisquer outras informações que o senhor considere relevante.
Para conhecer nosso projeto, o senhor pode acessar o portal http://www.livrevista.com/
Estou disponível para responder qualquer dúvida ou sugestão sobre o projeto.
Aguardo sua resposta.
Atenciosamente,
Tiago
 

Um comentário:

  1. Caro academico de Jornalismo.

    Voce afirmou: A lavoura que conta com o apoio de agrotóxicos é 40% mais produtiva que a lavoura comum, e o alimento sai 30% mais barato. Sendo assim, proibir o uso de agrotóxicos poderia auxiliar no aumento da fome no mundo.
    Respondo: não é verdade. Os vendedores de agrotoxicos tem esse discurso de venda. VC sera jornalista e deverá quando atuar profissionalmene analisar com profundidade o que os interessados nas vendas absurdas de venenos - AGROTOXICOS - falam e não provam.
    Vc tb afirma:
    Proibir o uso de agrotóxicos poderia auxiliar no aumento da fome no mundo.
    O Brasil gasta por ano 6 bilhões de reais com a aplicação de pesticidas quimicos sobre as nossas cabeças, nossos estomagos, nossos rios, florestas cheias de animais silvestres, etc. etc. Somos os campeões em matar a natureza e os seres humanos que quando não morrem contaminados, ficam aleijados para sempre. Muitos deixam de trabalhar aos dezoito anos por que aplicaram sem qualquer EPI, os venenos mais perigosos do mundo contrabandeados do Paraguay.
    Pense muito sobre o que os "vendedores de pesticas estão contando para os agricultores e criadores das maravilhas desses venenos.
    SDS
    Eng. Agr. Gert Roland Fischer - CREA 001288-4

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget